O ODF  >  Exemplos de utilização


 

O formato ODF é complementar do formato PDF, mundialmente conhecido (ver ODF e PDF).

 

Alguns exemplos de casos em que deve ser usado o ODF, por ser um formato de edição independente do software utilizado.
grupos de trabalho Quando uma equipa produz uma apresentação, um documento de cálculo, ou um desenho vectorial, necessita de ter como base um mesmo ficheiro, que cada um dos elementos possa ir melhorando. Mesmo depois de o documento ser dado como terminado, é habitual guardar-se uma cópia do ficheiro editável, de modo que este possa ser actualizado mais tarde. A utilização de um formato universal como o ODF permite que cada pessoa possa adoptar o programa que mais lhe convém, sem ter de se preocupar com as escolhas dos colegas.
autores A concepção de um livro técnico, de um artigo científico ou de um romance faz-se progressivamente, num ficheiro de texto que se vai continuamente escrevendo. Mesmo depois de ver publicada a obra (em papel ou digitalmente, em PDF), o autor preserva uma cópia do ficheiro editável (ODF) pois sabe que esta é imprescindível para quaisquer edições revistas que um dia queira fazer. Quando os editores declaram aceitar o formato ODF estão a permitir que os actores envolvidos na produção da obra escolham, cada um deles, a ferramenta de produção que mais lhes convém, independentemente da escolha que o outro fez.
indústria A elaboração de manuais técnicos é resultado de um trabalho que acompanha a concepção de um produto. Mesmo depois de o produto estar feito e a sua documentação finalizada, conserva-se uma cópia do ficheiro editável (ODF) em que se trabalhou, para que quaisquer alterações ao produto sejam facilmente reflectidas na sua documentação. Adoptar o ODF significa garantir que a documentação do produto estará sempre acessível, independentemente das escolhas de software que a empresa fizer.
reutilizadores de conteúdos Actualmente, quando se escreve um texto, é habitual não se escrever com um só fim: o texto será agora publicado num jornal, daqui a um ano aproveitamos um parágrafo para outro texto, daqui a três anos, usamos excertos do texto para enriquecer um site, daqui a cinco anos recolhemos outra parte do texto para compor um livro. Enfim, reutilizamos conteúdos. Para que neste processo nada se perca, o reutilizador de conteúdos preserva sempre o ficheiros editável que usou inicialmente. Na reutilização de conteúdos, optar pelo ODF garante que na transferência para outros formatos nada se perderá — sendo um formato público, cada vez mais os diferentes programas de software conhecem as suas características e por isso cada vez mais interagem sem dificuldades com ele.