O ODF  >  Benefícios  >  Porquê adoptar o OpenDocument Format?


 

Nos dias de hoje, cada vez vez mais, a produção de um país assenta na utilização de documentos digitais. E, no entanto, tantas vezes a forma como estes são produzidos e armazenados merece pouca atenção.

O que acontecerá daqui a 20 anos aos documentos que hoje criamos?

Se tudo continuar como até aqui, o mais provável é que a informação que contêm se torne inacessível. Isto porque, na esmagadora maioria dos casos, aquilo que tem sucedido é que os documentos que produzimos são concebidos com base em regras — aquilo a que se chama «formato» — específicas do programa que em cada momento se está a usar; mais ainda, as empresas que produzem esses programas não as divulgam. Isto significa que, para se aceder a um documento, tem de se usar sempre o mesmo software.

Ou seja, na prática:

  

Recentemente fixado na norma ISO/IEC 26300 — a única do género —, o Open Document Format (ODF) é um formato documental que permite que aqueles problemas não se coloquem.

O ODF, desenvolvido por uma organização independente, tem como principal característica o facto de ser de linguagem "aberta" — isto é, as suas especificidades são públicas e acessíveis. Assim sendo, qualquer empresa de software, mesmo não tendo participado da sua concepção, pode desenvolver livremente, e sem custos, programas que o usem. Trata-se, portanto, de um formato universal.

Mais uma vez, na prática, isto significa que: a) o consumidor passa a poder optar livremente pelo programa que mais lhe convém, pois que o formato com que cada um trabalha é o mesmo — o ODF; b) passa a estar garantido o acesso “intemporal” aos documentos que se produzem (pois são públicas as respectivas características).

Actualmente, o Open Document Format é já o formato nativo de dezenas de programas utilizados por milhões de pessoas em todo o mundo.